sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Tempos de moleque
brigas de formigas
sal no lombo do sapo
araponga na arapuca
boca de balão
bola de gude
buraco no chão
pipa ou papagaio
mãe-da-rua, sela e pião
queimada, ioio e capotão

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Mandando vários sonzões véios que esta maravilha me possibilita

Escutando um Ten Years After, Trapeze e Big Allanbik, só para começar a esquentar o dia.
Tudo sonzeira das antigas, que só tinha como conseguir em K7, agora, a maravilha na internet possibilita algo  impensável há duas décadas atrás!

Enquanto escrevo isso, Igrejeiros de plantão fazem seus expurgos e excomungam os demônios do aborto, aTradição, Família e Propriedade somada com a Opus Dei hipocrisia do estado teocrático brasileiro vão ficando acoados, enquanto o vampiro Zé Chirico antifumo pedagiero e igrejeiro faz uma cena fingindo ser agredido por um meteoro, quando na verade é uma bolinha de papel.

Relembre do Jogo Brasil X Chile no Maracanã 1990 #Serrojas
 
Jogo: acerte a bolinha na Careca do candidato farsante

terça-feira, 19 de outubro de 2010

emos e bitinikis di butiqui

Faz tempo eu disse que não faço distinção entre quem faz um trampo,  seja com as mãos ou com a cabeça, salvo saber que o primeiro é mais desprestigiado, e o segundo, valorizado, pela divisão do trabalho estabelecida pela sociedade. Não é mais nem menos quem escreve, pinta e borda, toca ou não, o que deve fazer com maior humildade, seja usando o critério científico ou artistico.
Até os malucos véios, barbudos, mendigando no centro de Osasco, aquele véio cabiludo alto, magrã, com um boné que fica na esquina da Primitiva Vianco, sempre me pedindo 25 cents, ou aquele outro que fica sentado do lado da escola,  resmungando e filando um cachorro quente, também tem algum estilo e alguma arte.
Enche o saco ver alguns carneirinhos de bosta, que acham que o fato de escreverem é mais do que um borracheiro que conserta pneus, um carteiro, ou a cozinheira que me serve um suculento filé ou qualquer outra porra que se faça.
Não só falando em critérios de utilitarismo, mas sinceramente, que porra eu levo com esses franjinhas sentimentais que escrevem a porra que escrevem? É de fuder a porra do que se acham, tanto faz, de qualquer forma, só estão sobrevivendo, de qualquer forma alimentam, sejam com ideias, com o trabalho essa porra que continua funcionando. Fodam-se todas as poesias que não dizem nada, são pura masturbação sem sentimento, foda mal dada, sem carne.
Tem um monte de mala sem alça fazendo ponte que cai por ai como gente posando de artista, e de toda forma todos ganham sua vida, e foda-se, desde que se divirtam e toquem em frente a situação, sem muita encanação. Tá cheio de emo e biiitiniki de butique na universidade, no curso do Willão, mas a coisa tá tão sem espírito, sem a loucura ou sem a paixão, que não tem nem graça. Tem um bocado de certinhos poetas e prosadores que dá no saco e eu saio com um irmão para estourar um que a coisa tá pedindo.

domingo, 17 de outubro de 2010

Um sábado com chuva e mais algumas baboseiras

Ontem estavam bocado deprimido, talvez por conta de um cansaço. Só sei que consegui sair um pouco para dar uma volta, minha cabeça está um pouco melhor hoje. Estão pedindo pra eu fazer uns exames, parece que a coisa é um pouco nazista, mas vou levando bem, tirando que me roubam na cara dura e enrolam o tempo todo, só vou me fodendo, tiram grana daqui, tiram grana dali, é um assalto atrás do outro, e o pior, tudo legalizado, à mão desarmada. Estou escrevendo aqueles tiros e golpes curtos e certeiros via twitter, diferente de uma poesia que dá para se alongar mais aqui em um blogue.

Sábado masturbatório
Sábado entediado, endiabrado
Sábado encavalado e unha encravada
Sábado da loucura e da depressão
Sábado para fazer da raiva, rima
lição do Preto zen budista lutador de judô
Sábado, sangrento sábado
Sábado da punheta mal batida
Sábado da foda não dada
Sábado dos mal-comidos e mal-amados
Sábado, sábado, sábado

Seguidores

Pilotando a banheira do Manoel nas dunas

Pilotando a banheira do Manoel nas dunas
seguindo após Pitangui até Muriú-RN

Tatoo you

Tatoo you
Woman of night; Strange kind of woman; Lady in black; Lady evil; Princess of the night; Black country woman; Gipsy; Country Girl

Caricatus in 3X4

Caricatus in 3X4

Outra caricatus

Outra caricatus
Desenhista do bar e restaurante Salada Record

Mix, podi mandá "uma" aí?

Follow by Email