segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Isabella Sofia

Você é a obra mais bonita que realizei
Perfeita, verdadeira obra-prima
Esculpida no mármore dos deuses
Pintada com o orvalho da manhã
Desenhada com as lágrimas da noite
Talhada com a madeira de um carvalho sagrado
Você é o verso mais-que-perfeito, do melhor poema que já escrevi
Com rima, métrica ou versos livres, com forma e conteúdo
perfeitos e harmônicos
Trouxe-me alegria e esperança
Nos seus olhinhos de menina, criança
Você me conquistou definitivamente
Desde que a vi nascendo
O seu chorinho é a melhor música, os seus sorrisos
Ou mesmo desde a sua dança
seus chutinhos e soquinhos
Ainda no ventre?
És um anjinho mais lindo
Que fiz em minha vida

segunda-feira, 10 de junho de 2013

Aquela emoção ao encontrar
a pequena menina jogando aviõezinhos
em um pequeno, escuro e esfumaçado salão de cabaret
Uma petit bailarina, dançarina
Dizia que sabe manter o seu lado criança
Arrebatou meu coração
Quis logo ser seu namorado
Eu, poeta de peito bêbado
um embriagado de coração vagabundo,
perdido pela noite
Cheio de emoções na carne
Com meu lirismo, minha taradeza, romantismo e loucura
Foi o maior coice que tomei da realidade,
sim, o maior foi te amar e ver crescer o poder,
domínio e admiração
que sinto por ti

*

Minha musa dos olhos cintilantes, folhas de outono caídas
duas luas pintadas de azul - na pálpebra
Maior emoção é ver nosso amor crescer
Você toda produzida com seus brincos e colares
Você é linda com sua maquilagem, muito cheirosa
Bordando as toalhinhas da nossa Isabella
O calor de suas mãos carinhosas e ágeis
preparando com todo carinho e esmero uma sopa
Sim, sabemos que você é muito dedicada, 
do seu cuidado com as coisas
fica até linda quando está brava
Quero ser seu namorado eternamente

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Poema

O Consumismo aprofunda o vazio do ser
torna-nos uma casca de noz, na era do vazio
entre o ser e o ter, prefiro ser essa metamorfose
Sou o que sou, sem mentiras
Não me apoio na tirania da exploração
das contas correntes
Da peste emocional
Porque minha vida é tão difícil
encontro-me em um inferno, em uma temporada nele
Não quero ser colocado, provado ou testado
em uma situação limite

Poema

AS experiências da vida em conjunto vão se modificando
Você ficando tão mais bonita quanto irritadiça
Impositiva ou mandona, com olheiras fundas
Fica tão linda brava
Eu fico triste com sua distância

A vida vai ganhando cores
a nossa pequenina crescendo
dentro da sua barriga

Você faz todo um terror e mistério
O amor se torna doentio, visceral
Em meio a loucuras e brigas de amor e safadeza
Tira proveito, me usa e abusa
Sempre querendo provar do meu amor vadio
coisas ou demonstrações não mostram nada do que sou ou sinto
Amor nenhum se compra ou se vende

Nossas diferenças se aprofundam
você querendo dominar ou impor
ainda assim te amo demais
seu modo atrevido e ousado de tentar
Irei contigo até o fim, de corpo e alma
mas preciso às vezes respirar

terça-feira, 5 de março de 2013

O demais nunca é o bastante
Sempre querendo mudar o meu modo de ser
Meu ser poético, lírico e romântico
o modo que sou - no fluir e no devir
Fazendo-me sentir o último dos seres
O mais descartável, inútil e dispensável nesse amor

Disseste estar cansada, já não sou mais o mesmo
não me procura com o ardor da juventude de antes
às escondidas, namoros nas estações e passeios insólitos,
fazia de tudo para me encontrar e ficar comigo nos raros momentos

Dizes que não estou nem sou presente, não me interesso por nada
Apenas com coisas materiais cotidianas, corriqueiras
Trocando e oferecendo apenas o dever pelo prazer
as implicações e obrigações, brigas, birras e brigas por emoções
Pergunte a si o que será que estou recebendo?
Qual é o retorno que tenho?
já que me consomes e joga fora?

Ameaças de sumiço ou abandono não resolvem
sempre escuto que eu não sou, não faço,
Experimente ficar sem eu por um tempo
pra ver se me esquece ou se sente falta
Não quero ser o bagaço da laranja
Chupado, usado e jogado fora
Não quero me sentir descartável

segunda-feira, 4 de março de 2013

Lunáticas românticas


26/02/2013

Não sou nada bom com as mãos, coisas manuais
Tenho problemas demais com as coisas práticas
Sou mais um daqueles Albatrozes, um lírico perdido nesses tempos
Um romântico retrô: de volta ao passado
Querendo as origens, um tempo mais puro

01/03/2013

Às vezes em meio a multidões
Isolamos-nos em nossas conversas até tocarmos os céus
viajamos em um cometa através galáxias
Sentamos na lua em nossos planos
Dou-lhe os anéis de Saturno
Na última vez que passamos por Júpiter
Acompanhados por Marcianos

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Vir-a-ser

25/02/2013

Quando te conheci
Eu andava no lodo, em uma escuridão profunda
Havia perdido todas as esperanças
Quando te vi, um anjo azul tão lindo
Caído nas profundezas do inferno
O sangue revigorou nas veias
Voltou a correr
Você deu todo um sentido na minha vida
Ressuscitou uma flor de lótus no pântano do meu peito
Que era pedra e se rachou com seu amor dinamite
O sopro novo de uma brisa do mar
Foi uma paixão, diamante louco
Nunca mais fui nem serei mais o mesmo
Nem o rio em que navego será

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

12 de Fevereiro 2013


Eu te amo um amor puro, sincero
Que vem de dentro de eu, de outro mundo,
Extraterrestre, outras galáxias
Amo o teu ser extraordinário
Ainda que você me machuque às vezes
Com alguns testes pequenos, mesquinhos
do mundo material exterior
Dizendo que lhe nego algo pequeno
Colocando à prova meu amor sincero
Pela pedra preciosa mais rara e
Importante que encontrei
entre tantos pedregulhos
Meu diamante a ser lapidado
por meu amor imenso
Nos trará outra joia rara
Para este mundo

Janeiro 2013


Tenho as minhas melhores lembranças
Daqueles tempos ingênuos em que lhe conheci
Admiro sua beleza ao dormir
Olho para trás e vejo tudo o que fizemos juntos
Suas carnes magras e bonitas de gata esperta
Seus olhos verdes de folhas caídas, seu rosto está ficando redondo
Tuas formas ficando mais bonitas com nosso rebento
Vejo tudo o que fizeste e fazes
Todos os cuidados e o carinho
São e serão para sempre lembrados
Tudo o que fizeste por eu
Você sempre tão linda como minha deusa
Eu sou o seu patinho feio
cheio de problemas e defeitos
Porém sempre dando o meu melhor
O máximo possível do meu amor
Você me deu tudo, o maior gesto de amor
Companheira, sempre está do meu lado
nas horas mais difíceis, dizendo a verdade

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

O filho que ainda não veio: meu maior rebento

Amigos do Rebentos do Celso:

Minha longa ausência de quase três meses da última postagem aqui no blogue justifica-se por um turbilhão de mudanças e revoluções que aconteceram na minha vida.

Como um bom loco e delirante que sou, delirante, amante fogoso, agora estou me dedicando e preparando pra o meu maior dos rebentos. Dentro das três coisas que um homem deve fazer na vida, segundo o provérbio chinês (plantar uma árvore, escrever um livro e ter um filho), este será o último dos que ainda não havia feito: ter um filho, o meu próprio rebento.

Não falo da minha produção em verso e prosa que gerei ao longo desses anos todos, mas um este último, o rebento de carne, osso, sangue, vísceras e espírito virá arrebentando. Meu filho, que será a minha maior realização na vida dentro de cerca de mais seis meses.

Portanto, não estranhem minha longa ausência, seja por falta de internet em casa ou mesmo de tempo.

Abraços e saudações a tod@s.
A vida começa a mudar os seus rumos
Tomar outras direções
Numa discussão sobre a ética dos vencidos e derrotados
Somos seres sociais, embora queiramos ficar totalmente a sós
antissociais no nosso amor, ficarmos alheios ao mundo
Desde a sua volta foi tudo muito doido
Noites loucas e embriagas passeando pela rua
De braços dados na República de meus sonhos
Escalando os topos do Banespa
Visão Dantesca da Paulicéia Desvairada
O beijo louco na boca carnuda
passeios na cerealista, mercado do meu coração
No Bixiga de Adoniran e Geraldo Filme
sambamos nos hotéis um amor delicioso

Seguidores

Pilotando a banheira do Manoel nas dunas

Pilotando a banheira do Manoel nas dunas
seguindo após Pitangui até Muriú-RN

Tatoo you

Tatoo you
Woman of night; Strange kind of woman; Lady in black; Lady evil; Princess of the night; Black country woman; Gipsy; Country Girl

Caricatus in 3X4

Caricatus in 3X4

Outra caricatus

Outra caricatus
Desenhista do bar e restaurante Salada Record

Mix, podi mandá "uma" aí?

Follow by Email